Os primórdios do Eddy Teddy (2ª parte)

The Helker´s

The Helker´s

A primeira banda do Eddy rolou nesta mesma época, Ló arrumou para ser o baixista de um grupo que estava começando e que tinha o Torero na guitarra base, o Valdir na Guitarra Solo e o Carlos na Bateria (os três estudavam com o Eddy no ginásio) e como eles precisavam de um cantor, o Eddy acabou ficando.

 A banda se chamava The Helker´s e tinha um repertório entre o rock instrumental e o rock inglês da época.

Os Helker´s duraram cerca de um ano e o pessoal acabou se dividindo. O Ló para outra banda os Blood Stones, que tinha um baterista infernal chamado Paulinho. Os caras tocavam quase só Stones e alguns outros covers de outros grupos ingleses. O som era muito bom, bem British Beat.

Helker´s

Relker´s

Os outros caras dos Relker´s pararam e o Eddy se juntou à outros caras que conheceu no colégio. Foi então que formaram o Spectral Zoo que tinha outro cara no vocal (Milton) e o Eddy na guitarra base, o Justino na Bateria e o Rafael no baixo.

O Rafael era o próprio punk em 1967, já andava de coturno, calça Lee rasgada e blusão de couro. Usava correte no lugar de cinta e um cabo de aço no bolso, além de um rato branco de estimação.

Spectral Zoo

Spectral Zoo

 

O Spectral durou uns três anos, o Rafael teve problemas de saúde e precisou sair. No lugar dele entrou o Jair que estava saindo de outra banda do Pigmeu (que mais tarde seria o Little Piga do Coke Luxe). Na época meu pai e a moçada pirava com o Jimi Hendrix, Cream e Canned Heat e conseguiam os discos importados através do Miltão o Justino e o Massao Hotoshi (ilustrador renomado que fez a capa do LP do Coke Luxe).

A Curiosidade é que o Massao chegou a participar do grupo como guitarra base, mas era extremamente envergonhado e queria tocar de costas ou nos bastidores.

 Ai pintou um guitarrista que estudava com o Justino, o Luiz Carlini (Rato) que depois formou o Tutti Frutti com a Rita Lee e hoje é considerado um dos maiores guitarristas de rock & roll do Brasil. Naquela época ele já era excepcional e deu um pique legal para a banda. O Miltão era uma mistura de Jim Morrison com Eric Burdon e Eddy ficava entre Chuck Berry e Petetowshend, o Jair o Jack Bruce e o Rato pegava tudo que era do Johnny Winter, Hendrix e o Clapton. O Grupo era incendiário e totalmente psicodélico.

Depois do Spectral Zoo, o Eddy passou a curtir uma república no Brokin, lá misturaram o pessoal que curtia música, literatura, ilustração e tudo que fosse arte.

Por lá passaram caras como o Angeli, o Toninho Mendes da editora Circos, os fotógrafos Wagner Avancini, Arlene Borja e o Lev Mendes Jr, o Luscar, o Massao, o Furio Lonza (escritor), o Petcho e o Patatá.

Uma porrada de outras figuras que direta ou indiretamente estão até os dias de hoje ligados às artes em geral.

No início dos anos 70, o Eddy conheceu o Velho Willian Baroni e o pessoal do Jabaquara. Na época eles eram os únicos que promoviam os bailes com as músicas que curtiam e queriam ouvir.

Eddy, Machado, Velho e Kojaque

Eddy, Machado, Velho e Kojak

O Velho, o Cezar (Machado) e o Valdinar tinham todos os discos importados que era muito difícil achar. Aí juntou o útil e o agradável. Uniram Casa Verde e o Jabaquara e incendiaram tudo.

Eram festas malucas regadas à Cuba-Libre e muito rock & roll..

Esta história continua amanhã……..

Anúncios

7 Respostas to “Os primórdios do Eddy Teddy (2ª parte)”

  1. Tony Clifton Says:

    Opa, grande Luiz Teddy!

    Parabéns pelo blogão!

    Uma curiosidade: porque está escrito `The Relkers` na bateria, mas no texto o nome da banda é `The Helker’s`?

  2. Viviane ( Grega) Says:

    Luiz e galera,
    Fiquei inebriada de conhecer mais um pouco sobre a vida INTENSA do nosso amigo, é impressionante como ele estava sempre no meio da música e artes no geral, o tipo de personalidade tb AGREGADORA, ai fiquei pensando: ele era um cara muito generoso em todos os sentidos, sempre dividia o conhecimento e dava oportunidades para a galera se atualizar, tinha uma paciência com os mais novos e com a nossa ignorância, rsrs, ele mesmo não parava! rsrs gente se ele fazia tudo isso naquela época que a galera não tinha acesso a informação simultânea que temos hj, eu fico imaginando… o EDDY nessa geração ele ia pirar! e provável que estaria ligado a algo na net, falando com Deus e todo mundo! hehehehe! show ! enfim fazendo acontecer! vivendo intensamente:)
    E o que mais me interessou é que todas essas bandas refletiam a curiosidade e e ambiente musical da época, ele passou por várias fases e não era um cara estagnado, outra característica marcante, do EDDY, é que ele se atualizava, tocava e ouvia de tudo um pouco dentro do que ele gostava, não era RADICAL, isso para um músico, na minha opinião é fundamental, aliás em todas as áreas… mas não quero me aprofundar! enfim, estou encantada:)
    bjão à vc e à todos
    Vivi – Grega

  3. Manoel Messias Alves Says:

    Pessoal, como faço pra entrar em contato com Massao Hotoshi?
    Abraço

    Messias

  4. onesimo Says:

    ola, também preciso do contato do Massao Hotoshi urgente,
    se vc conseguir nos ajudara muito.
    queremos homenagea-lo numa exposição no sesc ribeirao preto. e nosso tempo é curto.
    onesimo

  5. Wilian"Véio" Says:

    E ai!!! Aqui é o Velhinho que te ama…Mande seu e-mail,quero conversar com vc!!! Mamma Cass mandou bjs pra vc
    Véio
    wiliam.baroni@terra.com.br
    Te amo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: