Billy Gato

Eddy Teddy e Billy Gato

Eddy Teddy e Billy Gato

Seria impossível escrever ou contar sobre os primórdios da cena rockabilly no Brasil sem falar de algumas pessoas que contribuíram muito para este cenário musical na forma que vemos nos dias de hoje.

Vicente, Lindão e Billy Gato

Vicente, Lindão e Billy Gato

Uma das pessoas que sempre faço questão de mencionar e que sem dúvida nenhuma foi um dos caras que mais se dedicou em divulgar o rockabilly no Brasil, sendo através de bandas como Billy Gatos e posteriormente os Grilos Barulhentos ou até mesmo reunindo a moçada para se encontrar e curtir rock & roll, foi o Raimundo, ou como era mais conhecido, Billy Gato. 

Coke Luxe e Raul Seixas

Coke Luxe e Raul Seixas

Apesar de eu ser uma criança na época, deveria ter uns 11/12 anos tive um puta prazer de conhecê-lo e ser seu amigo através do meu pai que se eu não me engano conheceu o Billy num show do Coke Luxe e Raul Seixas no Palmeiras (provavelmente o Wagner “Lindão” vai falar sobre isso no documentário, afinal estava lá).

 O Billy Gato era um cara com um puta carisma que conquistava todo mundo que o conhecia.

 

Turma reunida em Casa

Turma reunida em Casa

Eu, moleque pra caralho, ficava deslumbrado com o visual do cara e com as coisas que vira e mexe levava na minha casa, como por exemplo os compactos do Stray Cats e outras raridades que antigamente era difícil encontrar, confesso que achar um disco já era um motivo de fazer uma festa, e isso não faltava na minha casa. 

Não sei exatamente, mas acho que o Billy foi um dos primeiros rockabillies que meu pai conheceu, se me recordo bem, o Eddy chegou a ensaiar uma banda com ele na minha casa, mas acabou não virando.

Eu, Daniel, Tony Campello, Jack e Deni

Eu, Daniel, Tony Campello, Jack e Deni

 Era du caralho ver toda esta galera reunida na minha casa, ficava olhando atento cada detalhe do visual da moçada, escutava o som e as conversas por tabela e assistia ao vivo todo um estilo de vida que eu só tinha visto em discos e nos vídeos que meu pai ou alguém descolava. Essa época mudou minha vida completamente, com 14 anos montei minha primeira banda de rockabilly, descolori o cabelo, coloquei brinco e já andava no visual 24 horas por dia, talvez tenha sido lavagem cerebral na época, mas toda essa minha paixão pelo rock me mantêm cada vez mais jovem e no pique para continuar.  

Luiz Teddy (14 anos)

Luiz Teddy (14 anos)

Nunca vou esquecer do dia 19 de maio de 1989 quando veio o Guana Batz para o Brasil, acho que nunca fiquei tão ansioso para ver um show, eu tinha 14 anos e além de ser o primeiro show de uma banda internacional que eu iria assistir, era o show de umas das que eu mais gostava, furei o disco “Live Over London” que a Stilleto tinha lançado.

Guana Batz, Eddy e Serginho

Guana Batz, Eddy e Serginho

 Lembro que quando anunciou na TV o show e depois assisti no programa Metropolis um especial ao vivo com eles, fiquei mais maluco ainda, meu pai foi na coletiva que rolou no Espaço Retro e registrou tudo com fotos e gravações e eu totalmente desesperado para colocar os pés no Projeto SP que ficava na Barra Funda em São Paulo.

Lembro de todos os detalhes deste show, inclusive dos caras tocarem musicas jamais gravadas como Stand By Me, lembro na hora de Loan Shark a cara do Billy Gato pirando com tudo que estava rolando, afinal, quem diria que iríamos presenciar um show deste no auge do revival  rockabilly e do surgimento da cena psychobilly no mundo.

 Mas a grande merda aconteceria logo após o show, num acidente de carro no túnel da Av. 9 de Julho, onde o Billy Gato veio a falecer juntamente com o Renato da banda rockabilly Vera-Kha. 

Grilos Barulhentos

Grilos Barulhentos

No dia seguinte o Rockterapia foi tocar em Juquiratiba no interior de São Paulo e eu e minha família viajamos para lá.

Lembro como se fosse hoje, que meu pai me chamou, junto com o Deni (filho do Ló do Rockterapia) e contou o que tinha acontecido, eu estava com a música do Elvis na cabeça “His latest flame“ na hora que meu pai falou que o Billy Gato tinha morrido e toda vez que eu escuto essa música, por mais que a letra não tenha nada haver com a história lembro nitidamente da cena.

 Nunca tinha perdido alguém tão próximo e por isso foi uma puta barra, foi um lance triste pra caralho para mim, pro meu pai e para todos que conviviam com o cara.

Após um ano, participamos de um festival de bandas na escola onde eu estudava “ Colégio Padre Manoel da Nóbrega) e para homenageá-lo montamos uma bandinha com o nome de Billy Gatos (apesar de sabermos que tinha sido sua primeira banda antes dos Grilos Barulhentos) e tocamos o Lindão que era uma música sua.

Luiz Teddy, Eric, Fleuri e Deni

Luiz Teddy, Eric, Fleuri e Deni

Ganhamos o festival em primeiro lugar, saímos na capa do disco e gravamos a música com o nome da banda alterado para Cadillacs, com Deni cantando e eu fazendo backing vocal num arranjo de midi escroto pra caralho que montaram no estúdio, mas de qualquer forma foi o meu primeiro registro musical. 

Sem dúvida nenhuma onde quer que este cara esteja, deve estar dando uma puta força para toda esta cambada de rockers que entre trancos e barrancos levam o rock no seu estado mais cru e selvagem como uma epidemia para todos os cantos do Brasil.

Billy Gato e Eddy Teddy

Billy Gato e Eddy Teddy

Anúncios

10 Respostas to “Billy Gato”

  1. maria Says:

    Ê, SAUDADES !!!!!

  2. Carlão Says:

    Lembranças de um amigo que se foi, outro que deixou marcas foi Johnny Luva,mas faz parte da vida perdemos os melhores.

  3. Moniboop Says:

    Muito Dez esse blog…adorei súper esclarecedor!!!

  4. Fabricio Says:

    Muito Prazer, estou navegando e gostei de conhecer esta historia. Fiquei curioso sobre o poster do show, ele ainda existe?

    • luizteddy Says:

      Qual poster?
      Do Coke Luxe com o Raul Seixas? Eu tenho todo este material original.
      Meu pai sempre fez questão de guardar tudo, sempre pensando em preservar a história.

  5. Alexandre Porto Says:

    Velho… Nem sei se vc lê isso aqui ainda, mas me deixou emocionado pra cacete ler sobre a morte do Billy e do meu amigo/irmão Renato. Nós fundamos juntos a Vera Kah e a morte dele alterou completamente a minha vida…
    Tenho guardado até hoje os 2 ingressos do SHow do Stray Cats… Putz, como foi bom…
    Adoro demais Rockabilly e foi bom relembrar velhos e bons tempos…
    Forte abraço… Alexandre Porto

    • luizteddy Says:

      Muito legal ler tua mensagem Alex, é nessas horas que fico feliz com o lance do blog.
      Se puder escreva alguma coisa dessa época que eu posto no Blog, se tiver fotos melhor ainda…quero tentar na medida do possivel escrever um pouco da nossa história aqui no Brasil.

      Abração

  6. Agestil Ferreira Says:

    Caro Luiz: Beleza? Amigo, vc tem mais fotos do seu pai em show no Lita Paulistana, por exemplo? Por favor, anote meu e.mai: agestil@bol.com.br… fiz parte dos Cafajets aqui de Campinas… não sei se vc lembra? Saudades do Bily Gato e os outros amigos …

    • luizteddy Says:

      Fala cara, logico que me lembro dos Cafajets, tinha ate uma camiseta que ganhei na epoca…Tenho uma memoria muito boa dessa epoca, me recordo de toda turma de Campinas, como o Claus, Chico, Cebola, Davi, entre outros..
      Tenho muita coisa, nao sei se exatamente do Lira Paulistana…vou dar uma olhada e aos poucos vou postanto…e torcer para conseguir finalizar este documentario

      Grande abraco

  7. gilberto(giba) Says:

    luiz , parabens pelo seu tarbalho , e pelas lembranças que faz questao de manter viva!!!!!!!! com todo seu carisma , so poderia ser filho do nosso querido Eddy teddy!!!!! abs. Giba

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: