Eddy Teddy & Coke Luxe, pioneiros do rockabilly nacional

 

 

Capa do Repertório

Capa do Repertório

 

Nesta semana vou publicar algumas coisas do Coke Luxe, banda pioneira e que popularizou o estilo rockabilly no Brasil. 

 

Folha de SP (out_1984)

Folha de SP (out_1984)

Para dar início vou postar entre hoje e os próximos dias um folheto com desenhos numa espécie de revistinha com as músicas que foram tocadas no lançamento do LP Rockabilly Bop no Radar Tantã, num show histórico com muito s convidados onde algumas músicas estão registradas no CD do Coke Luxe.

 O conjunto “Coke Luxe” divulgava o rock and roll dos anos 50, dando destaque ao rockabilly adaptado à new wave.
A palavra “coqueluche” era uma gíria usada em décadas passadas para designar algo que estava na moda ou, como se diria hoje: é um barato, é o que há, tá na onda…
O termo rockabilly era usado no sul dos E.U.A. para qualificar os brancos que faziam o rock and roll com a habilidade dos negros.

A configuração básica dos conjuntos de rockabilly é a de três ou quatro componentes que utilizam um violão e/ou guitarra, um kit simples de bateria e um contra-baixo acústico. Dentro deste contexto instrumental os destaques ficam para os improvisos vocais, contrapostos aos solos de guitarra, formando uma unidade musical sincopada e altamente contagiante.
O “Coke Luxe” utilizava a energia do rockabilly para apresentar seus temas aos quais retratam o cotidiano das grandes metrópoles.

Show Radar Tantã

Show Radar Tantã

O conjunto foi formado por:

Eddy Teddy – violão elétrico, vocais – Remanescente do movimento pop dos anos 60, participou de vários conjuntos de rock, destacando o Spectral Zoo onde também participava Luiz Carlini (Tutti Frutti) e o Satisfaction, especializado em Rolling Stones. Apaixonado pelas origens do rock, tem na formação musical influências de Muddy Waters, Carl Perkins, Chuck Berry, Buddy Holly e The Rolling Stones.

Jipp Willis – kit de bateria – Começou a tocar em 1962 num conjunto de jazz e a partir do surgimento dos Beatles se envolveu com o rock. Participou da Jovem Guarda tocando no conjunto Os Fanis, acompanhando Vanusa, Antonio Marcos e Martinha. Tem como modelos Ringo Starr, Charlie Watts e Keith Moon, além dos conjuntos atuais de rockabilly: Stray Cats, Jets, Buzz & The Flayers… É o letrista de boa parte do repertório do conjunto.

Little Piga – contrabaixo acústico, vocais – Músico de estúdio, arranjador e produtor. Tem formação musical variada mas é no jazz e no pop onde tem suas raízes. Acompanhou astros da MPB como Simone e João do Vale. Também compõe e é o arranjador de todas as músicas do conjunto.

Lelo Cadillac – guitarra solo, vocais – No início dos anos 60, já tocava em conjuntos de rock instrumental. Participou do conjunto Pholhas (sucesso na década de 70) sendo sua a sugestão desse nome. Acompanhou toda a evolução do rock nacional, principalmente o da década de 50. Tocou com Emilio Russo (Lions e The Jet Black’s) e tem influências de Elvis Presley, The Ventures, The Shadows e Demetrius.

Billy Breque – substituiu Lelo Cadillac nas guitarras na gravação do LP Rockabilly Bop – Também conhecido por Bitão participou do conjunto Os Megatons, compôs a música “Tijolinho” gravada por Bob De Carlo no período da Jovem Guarda. Nos anos 70 pertenceu ao conjunto Os Pholhas gravando vários sucessos.

O Album Rockabilly Bop Tambem foi produzido por Luiz Calanca para o selo Baratos Afins e agora na versão digital incluindo se 11 bonus tracks nos possibilita relembrar algumas das performances da banda ao vivo.

 

Show Radar Tantã

Show Radar Tantã

 

Texto, publicado por * Fernando Rosa

“O Eduardo – Eddy Teddy – foi um dos melhores caras que já conheci, apaixonado principalmente por rockabilly”, disse Wagner Benatti, o Bitão, que integrou a banda Coke Luxe ao lado de Eddy. “O Eddy Teddy se transformava no palco e tivemos performances inesquecíveis dele com a boneca inflável, a garrafa inflável gigante e muito mais”, lembra Bitão, que também fez parte dos grupos Os Megatons, nos anos sessenta, e Pholhas, nos anos setenta. Eddy Teddy morreu em agosto de 1996, deixando uma legião de amigos e fãs de sua música, especialmente em São Paulo e junto à “nação rockabilly” do país.

“O cantor e guitarrista Eddy Teddy surgiu para o grande público em 1983”, segundo conta Ayrton Muganini em artigo que escreveu para lembrar o saudoso amigo e parceiro musical. Antes de forma o lendário Coke Luxe, Eddy Teddy tocou em inúmeros grupos, com destaque para Satisfaction, Spectral Zoo e British Beat, todas voltadas para o rock and roll e para os sixties. Mas foi com o Coke Luxe que ele cumpriu sua pioneira “missão” de popularizar o rockabilly no Brasil, incluindo suas vertentes modernas, particularmente o psychobilly. O único disco lançado pelo grupo, antecedido de um compacto simples, ainda em vinil – pelo selo Baratos Afins – é um marco histórico do gênero no Brasil.

Integravam o Coke Luxe, além de Eddy (vocal e guitarra) e Bitão (baixo), os músicos Lelo Cadillac – Marco Aurélio de Macedo (guitarra) e Billy Breque – Victor Sidney Riccelli (bateria). Ainda fez parte da banda o baixista Little Piga (Luiz Fernando Jimenes de Barros), um dos fundadores e autor da maioria das músicas. Ao lado dos cariocas João Penca e Seus Miquinhos Amestrados, a banda tornou-se um dos grupos mais importantes do gênero no país, que ainda contou com Eduardo Dusek e Léo Jaime entre os seus nomes mais ilustres. O grupo se desfez no final dos anos oitenta, mas sem deixar de realizar aparições ocasionais em eventos especializados em rockabilly, que sempre contavam com o apoio de Eddy e sua turma.

Além do grupo Coke Luxe, com quem lançou um clássico lp em meados dos 80, e um compacto, pelo selo Baratos & Afins, Eddy Teddy também formou, após, o Rockterapia, junto com o guitarrista Nuno Mindelis, ainda Os Vilões, trabalhou com os Kriptonitas e, por fim, apoiava a banda The Krents, de seu filho Luizinho, além de colecionar LPS e CDs, especialmente de rockabilly, sua maior paixão musical. Também participou da gravação do lp ‘Kid Vinil & Os Heróis do Brasil’, formado por Kid Vinil e o guitarrista André Christóvam, na faixa ‘Conta da Light’. Eddy ainda deixou diversos registros inéditos de suas bandas, com destaque para sua participação com os Kriptonitas, um dos mais raros e importantes representantes do rockabilly nacional.

“Antes do surgimento do personagem Eddy Teddy, o cidadão Eduardo Moreira já era pessoa das mais famosas e queridas no meio roqueiro paulistano, como músico e agitador, trocando fitas e discos com amigos e promovendo as já lendárias feiras de colecionadores de discos aos domingos, além do Clube do Rockabilly com associados em todo o país desde 1980 até, infelizmente, subir para o Grande Salão de Baile do Céu em 1997, aos 46 anos de idade”, escreveu Mugnaini, sintetizando a trajetória simples, cotidiana e de profundo espírito coletivo do músico.

* Fernando Rosa é editor de Senhor F

Foto para divulgação

Foto para divulgação

Anúncios

10 Respostas to “Eddy Teddy & Coke Luxe, pioneiros do rockabilly nacional”

  1. Fanfa Says:

    Do caralho essas fotos e esse post Luiz!

  2. Nara Says:

    Cara, tô achando a iniciativa incrível. Separei umas coisas lá em casa do meu pai pra te dar. Minha mãe te deu? Tem mais coisa, certeza. Preciso só procurar. Tô afinzona de ajudar mais. Vamos falar?

    • luizteddy Says:

      Oi Nara, que bom que esta acompanhando o Blog.
      Estou contando com a ajuda de todo mundo para fazer um ótimo trabalho para ficar guardado na memória das futuras gerações, afinal muita coisa rolou e infelizmenet nem todos puderam vivenciar.

      Ainda não peguei o material com a sua mãe….
      Vamos conversando, vou precisar muito da ajuda de vocês…

  3. Cesar Dellore Says:

    Fala Luiz, sou o Cesar, filho do “Machado”, do Lagarto Negro. Estou tentando entrar em contato com você. Mandei uma mensagem pelo seu myspace. Abraço.

  4. André Says:

    Do caralho o texto!
    Há anos ouço Coke Luxe e sempre dou algumas risadas das letras.
    Inclusive consegui comprar um LP de um cara lá de SP (sou de Brasília), mas até hoje não tive a oportunidade de colocá-lo pra rodar (meu toca discos foi pro saco).
    E so pra acrescentar: Saudade das noites do Senhor F por aqui.
    Parabens pelo site!

    Alias, queria saber de quem é a versão original de “O Bobão”, que você discotecou em uma das festas, se puder me passar o nome, agradeceria imensamente!
    Abraço!

  5. Edurocker Says:

    Opa Luiz, parabéns pela iniciativa deste registro, deste que é sem dúvida, um ícone do rockabilly nacional. Abço.

  6. edu.rockeiro@hotmail.com Says:

    COKE LUXE , REPRESENTA ATÉ HOJE O ROCKABILLY NACIONAL ,CURTO MUITO E TENHO UMA BANDA CHAMADA ESQUINA DO PECADO SEGUINDO ESSA ESTRADA.VALEU GALERA DO COKE LUXE UM ABRAÇÃO EDU ROCKEIRO

  7. Marcio Xkid Says:

    posta alguma coisa no you tube ,a banda é show .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: